Funcionamento

08H - 18H

Telefone

(31) 3507-0777

Cada gole é

Conhecimento.

Institucional

Garrafa, lata ou Chope: como você prefere a sua cerveja?

28/01/2022
Por:
Fabiana Bontempo
Cervejeira, Sommelière de Cervejas e Embaixadora da Krug Bier.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram

Garrafa, lata ou Chope: como você prefere a sua cerveja?

Muita gente diz que o sabor do chope é incomparável. Outros preferem as garrafas de vidro, e há ainda quem sejam a favor das latas. Será que existe alguma forma de envase melhor do que a outra?

O chopp ainda é o preferido de muitos consumidores, por ser mais fresco.

Água, malte, lúpulo e levedura. São quatro ingredientes básicos e dependendo do estilo e da proposta do cervejeiro, mais alguns são adicionados. São muitas combinações possíveis, mais de uma centena de estilos e sabores para todos os gostos. Seja no vidro, na lata ou no barril, cerveja é cerveja. A bebida é a mesma, mas alguma variação sensorial pode haver de uma embalagem para a outra, por conta do material do qual ela é feita e de processos que ocorrem depois do envase. Além disso, outros fatores devem ser considerados, como facilidade de gelar, transporte, risco de acidente, entre outros.

Vamos direto ao ponto: para quem quer experimentar a cerveja com o frescor e o sabor exato que o mestre cervejeiro criou, a melhor opção é o chope. Como esse formato não passa por pasteurização, a bebida tem preservados alguns compostos aromáticos que seriam perdidos pelo processo de elevar a temperatura. Entretanto, é esse processo que elimina germes e bactérias do líquido e garante um aumento significativo no prazo de validade. Ou seja, o chope deve ser mantido refrigerado ou consumido em pouco tempo depois de aberto o barril.

O aço inoxidável de que é feito o barril de chope também traz algumas vantagens: ele é completamente inerte à cerveja, impermeável à luz, não quebra, tem alta resistência a choques e ao calor, entre outros. Seu custo, porém, limita o emprego em embalagens descartáveis, e o peso pode dificultar o transporte.

Por muito tempo, beber cerveja nesse formato era sinônimo de ir a bares e restaurantes, mas, ele está cada vez mais acessível para o consumidor final, seja em versão delivery ou engarrafado nos chamados growlers. Essas garrafas podem ser de vidro, pet, cerâmica e, qualquer que seja o material, quando devidamente refrigeradas, manterão a cerveja em ótimas condições. Contudo, vale a lógica de vencimento do chope.

Lata x garrafa

Em relação à disputa entre latas e garrafas, o páreo é mais acirrado. A garrafa de vidro possui diversas vantagens em relação às outras: mantém a temperatura da cerveja estável por mais tempo, não passa sabor, é impermeável aos gases, não deforma… Todavia, as garrafas são pesadas, quebram facilmente, podem exigir um abridor e devem ser armazenadas sempre de pé, para reduzir o contato com o ar e também com a tampinha, que pode trazer algum sabor metálico para a bebida.

Outra questão é que, por ser translúcido, o vidro permite incidência de luz na cerveja, o que pode causar – como dizem os cervejeiros – um off-flavor chamado light struck. Traduzindo: os compostos presentes nas moléculas de lúpulo se transformam em contato com a luz e fazem surgir um aroma desagradável – no caso, cheiro de gambá. Mesmo o casco escuro, âmbar, deixa passar alguma luz, então, é essencial guardar garrafas de vidro sempre no escuro. Hoje já até existe um extrato de lúpulo que não é sensível a esse problema, permitindo cascos claros, mas ainda não é o mais comum.

Por serem totalmente impermeáveis à luz, as latas de alumínio não sofrem com o light struck e são imbatíveis em outros aspectos como o transporte a longas distâncias, gelarem mais rápido, serem completamente recicláveis, fáceis de se empilhar, entre outros. Mas elas também podem esquentar rápido, o que prejudica a estabilidade sensorial da bebida, e estão suscetíveis à corrosão do alumínio. Isso quer dizer que, apesar das latas serem revestidas por um verniz interior e exterior – para evitar a reação de líquidos com o metal – um simples arranhão pode expor o material à corrosão, podendo levar ao vazamento em poucos dias. Se uma lata vazar dentro de uma caixa, em poucos dias outras latas também poderão vazar.

Afinal, qual é a melhor opção?

O melhor sabor é o do chope, por ser mais fresco e não pasteurizado. Se for complicado de carregar e gelar o barril, uma boa opção são os growlers, desde que mantidos refrigerados e consumidos logo. Agora, se não tiver lugar na geladeira pra toda a cerveja, ou precisar guardar por mais tempo, escolha as garrafas de vidro ou as latas. Lembrando que lata gela mais rápido, mas o vidro mantém melhor a temperatura. Também vale considerar a quantidade de cerveja que cabe em cada recipiente e ainda como será o transporte e descarte.

Seja lata, garrafa ou barril, todos têm seus pontos fortes e fracos. O que vale é pensar qual o formato ideal para o seu momento e não deixar de apreciar uma boa cerveja!

Descubra novos sabores

contato@krug.com.br
+55 31 3507-0777
Rua Alaska, 115A
Jardim Canadá, Nova Lima/MG

Primeira Cervejaria
Artesanal de Minas Gerais